Por: JCS

Um grupo de pesquisadores da USP (Universidade de São Paulo) está estudando uma vacina não invasiva, contra o coronavírus, cuja aplicação é em Spray e é aplicada pelo nariz, sem dor.

Espera-se que, com a substância inalada, o organismo produza a imunoglobulina A (anticorpos presentes na saliva, na lágrima e em superfícies do trato respiratório, entre outros locais do organismo).

A vacina tem uma nanopartícula cuja propriedade é muco-adesiva, sendo que a substância permanecerá nas narinas entre três a quatro hora após ser absorvida, dessa forma, ativa a resposta imune, não permitindo que seja expelida por meio de espirros.

“Além de inibir a entrada do patógeno na célula, a vacina impedirá a colonização deles no local da aplicação”, relatou o coordenador do levantamento, Veterinário Marco Antonio Stephano, da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP, ao ser entrevistado pelo Jornal da USP.

Stephano disse que este tipo de imunização nasal tem várias vantagens, principalmente para idosos e crianças, por não ser injetável, e não invasiva apresentando menos reações ou efeito colaterais. A produção dos protótipos deve ser entregue em três meses, assim será possível iniciar os testes em animais.

Para que a imunização seja garantida, é indispensável que o paciente tome quatro doses, duas emm cada narina em um espaço de 15 dias. Este projeto também conta com pesquisadores da Unicamp. Provavelmente a vacina será comercializada a um custo médio de R$ 100,00

 

Com informações: Jornal da USP

 

 

 

OUTRAS LEITURAS



Sensível Mente
Revista de opinião e entretenimento, sobre temas relacionados ao equilíbrio entre mente corpo e espiritualidade.

COMENTÁRIOS