Por: JCS

A vacina do laboratório americano Moderna, contra a Covid-19, apresentou resultados positivos e animadores tendo uma eficácia de 94,5%. Esta boa notícia foi comunicada na segunda-feira (16), pelo laboratório, que tem sede nos EUA, logo após concluírem os resultados preliminares da Fase 3 dos testes clínicos.

Este é o terceiro resultado positivo comunicados por laboratórios diferentes em uma semana, o primeiro foi a Pfizer e o segundo foi o governo russo que também indicou eficácia acima de 90% em seus produtos desenvolvidos. Estes resultados são animadores, afinal, em todo o mundo os recordes de pessoas infectadas pelo coronavírus são superados a cada dia, há muitos infectados nos hospitais e muitos óbitos também.

O teste da Moderna, foi realizado em 95 participantes com casos confirmados de COFID-19. Com este resultado positivo o Laboratório “pretende submeter-se a uma Autorização de Utilização de Emergência” nos EUA muito em breve.

Atualmente, não se tem uma previsão de venda desta vacina fora do território americano em 2020. Há uma grande expectativa de que no mínimo 20 milhões de unidades sejam liberadas para o mercado interno americano ainda em 2020. O fabricante garante que para o ano de 2021 eles possuem a capacidade de produzir 1 bilhão de doses.

Existem dois grandes obstáculos para que outros países tenham esta vacina:

O preço, há uma previsão de que o valor desta vacina no mercado seja 10 (dez) vezes superior ao preço da vacina da AstraZeneca.
Logística de seu armazenamento, esta vacina tem que ser guardada e estocada a uma temperatura de -20 graus Celsius, fator que representa um grande desafio para muitos países do mundo que vivem quase sem energia elétrica ou locais refrigerados.

“Esta primeira análise provisória baseou-se em 95 casos, dos quais 90 casos de COVID-19 foram observados no grupo placebo contra 5 casos observados no grupo mRNA-1273, resultando numa estimativa pontual da eficácia da vacina de 94,5%”, disse a empresa, no comunicado.

Os 95 casos da COVID-19 incluíram 15 adultos mais velhos (com mais de 65 anos) e 20 participantes identificados como sendo de diversas comunidades (incluindo 12 hispânicos ou latinos, 4 negros ou afro-americanos, 3 asiáticos-americanos e 1 multirracial) ”.
Conforme a empresa, estes testes não revelaram “quaisquer preocupações de segurança significativas”.

“Uma análise dos eventos adversos solicitados indicou que a vacina era geralmente bem tolerada”, informaram. “A maioria dos eventos adversos foi de gravidade ligeira ou moderada”, constataram.

“A análise preliminar sugere um perfil de segurança e eficácia amplamente consistente em todos os subgrupos avaliados”.

Este é um momento crucial no desenvolvimento da nossa candidata à vacina COVID-19”, AFIRMOU Stéphane Bancel, diretor-executivo da Moderna.

“Desde o início de janeiro, temos perseguido este vírus com a intenção de proteger o maior número possível de pessoas em todo o mundo. Desde o início, sabemos que cada dia importa. Esta análise preliminar positiva do nosso estudo de Fase 3 deu-nos a primeira validação clínica de que a nossa vacina pode prevenir a doença COVID-19, incluindo doenças graves”, finalizou.

Com informações: UOL

OUTRAS LEITURAS



Sensível Mente
Revista de opinião e entretenimento, sobre temas relacionados ao equilíbrio entre mente corpo e espiritualidade.

COMENTÁRIOS