Por: JCS

Em Nova York, Washington, ontem, (12), a UNICEF e a OPAS (Organização Pan-Americana da Saúde) tornaram pública uma convocatória de licitação, nela, convocam todos os laboratórios que estão desenvolvendo vacinas contra a COVID-19 para que apresentem uma proposta de fornecimento dela para 2021.

Nesta licitação, que terá um prazo de seis semanas, planeja-se o fornecimento de no mínimo 2 bilhões de doses de vacinas contra a COVID-19 em nome do consórcio COVAX, que é administrado pela Gavi, a Vaccine Alliance. Esta licitação tem o objetivo de garantir o fornecimento acelerado a vacinas de qualidade garantida para os 186 países participantes desta parceria ou popularmente conhecido como “consórcio” COVAX.

Assim, todos os fabricantes que estão em processo acelerado de desenvolvimento e pesquisas clinicas da vacina e que esperam ter uma oferta de preço até o final de 2021 estão convidados a responder a licitação, inclusive aqueles que já assumiram compromisso escrito de compra antecipada com a Gavi, e aqueles que já têm acordos pré-existentes com a Coalizão para Promoção de Inovações em prol da Preparação para Epidemias (CEPI) no desenvolvimento de vacinas.

Fornecer vacina para 186 países não é uma tarefa fácil, primeiro tem que saber qual vacina é mais eficiente e que tenha maior garantia, segundo o preço, data de fabricação, entrega, distribuição. Esta logística não é tão simples assim, por isso o planejamento tem que ser muito detalhista.

Fornecer vacinas para uma quantidade superior a 2 bilhões de doses é complicado e demanda tempo, entre a fabricação e distribuição até chegar ao posto clínico do país para vacinação demanda uma batalha pois o vírus continua destruindo vidas.

Das 186 economias participantes, 92 economias de baixa renda receberão apoio financeiro por meio do Compromisso Antecipado de Mercado (AMC) do mecanismo COVAX.

Essas economias incluem aquelas definidas pelo Banco Mundial como economias de baixa e média-baixa renda, bem como economias qualificadas para assistência internacional ao desenvolvimento.

Trabalhando em coordenação com as principais autoridades regulatórias, todas as vacinas serão endossadas quanto à segurança, eficácia e qualidade pela OMS antes de sua distribuição. O UNICEF e a OPAS pretendem assinar acordos de fornecimento com fabricantes bem-sucedidos para apoiar o acesso antecipado às vacinas contra a COVID-19.

 

Com informações: Paho.org

OUTRAS LEITURAS



Sensível Mente
Revista de opinião e entretenimento, sobre temas relacionados ao equilíbrio entre mente corpo e espiritualidade.

COMENTÁRIOS