Por: JCS

Hoje eu estava no metrô Tatuapé-SP e presenciei essa cena.

Essa garotinha estava vendendo balas e como observei, não obteve muitos resultados, chegando à próxima estação, já pronta para descer, este senhor aí parou a garotinha e perguntou: o por quê ela estava vendendo balas?!
Ela respondeu que estava ajudando em casa. Ele perguntou seu nome e sua idade – Thainá, 12 anos.

Então ele perguntou quantos de bala havia ali, uns 50 reais dava?!
Ela disse que não sabia, então, ele colocou todas novamente na bolsa e foi passando uma por uma na sacola, até dar R$20,00 em balas.
Ele disse: o que sobrou aí, você chupa em casa. Toma, Thainá – entregou R$50,00 nas mãos dela.

Disse para ela ir para a casa e não ficar por aqui. Ela disse muito obrigada e ele falou: vai com Deus, menina.

Assim que a Thayná saiu, ele parou um pouco para refletir… Uma mulher ao lado deu parabéns para ele e ele não se conteve e caiu em lágrimas.

Disse à mulher que tinha uma filha da mesma idade, que ela tinha tudo em casa e ele não sabia a situação da Thainá, mas que queria ajudar de alguma forma.
Disse que assim que chegasse em seu local de trabalho, iria entregar uma balinha a cada pessoa de lá.

Conversa vai e vem, Ele se apresentou como Rogério e disse que fez essa ação, porque “Deus havia dito para ele parar a menina e comprar os doces dela.”

No dia a dia, podemos presenciar muitas Thainá’s e eu espero que haja muitos Rogério’s também.

Eu ganhei meu dia com essa ação!

Com informações: Bruna Biazzi


OUTRAS LEITURAS


Sensível Mente
Revista de opinião e entretenimento, sobre temas relacionados ao equilíbrio entre mente corpo e espiritualidade.

COMENTÁRIOS