Embora seu negócio esteja crescendo e ele continue fazendo cursos e treinamentos para melhorar, Rodrigo “Toto” Fernández (da Argentina) continua humilde e com vontade de trabalhar para sua comunidade: “Não tenha vergonha, se você não tiver, venha e eu corto o seu cabelo”, Ele diz.

Há poucas semanas trouxemos para vocês o caso de Sol, uma menina que aos 11 anos já é uma das barbeiras mais importantes da cidade de Barinas (Venezuela) , e que teve como cliente praticamente todo o seu bairro durante a pandemia.

E, aparentemente, ela não seria a única garota a se dedicar à arte dos cabelos e penteados, já que recentemente surgiu outra história semelhante, desta vez de Santa Fé (Argentina).

se convirtio barbero barrio 13 anos comenzo sin cobrar ahora tiene propio local 1 - Um menino de 13 anos se tornou barbeiro e agora tem sua própria barbearia
Foto: A costa

Este é Rodrigo Fernández – conhecido como “El Toto” em seu bairro de Santa Rosa de Lima, e ele tem apenas 13 anos . E ao contrário de outros casos, em que as pessoas agiram por necessidade financeira, Rodrigo decidiu aproveitar o tempo de reclusão para realizar um de seus sonhos: aprender a ser um cabeleireiro.

“Durante esta pandemia, eu precisava me sentir ocupado. Gosto de fazer coisas diferentes, faço muitos cursos, queria experimentar cabeleireiro e gostei. Durante seis meses cortei o cabelo de graça para todas as pessoas do meu bairro ”.

—Rodrigo “Toto” Fernández para El Litoral de Santa Fe –

se convirtio barbero barrio 13 anos comenzo sin cobrar ahora tiene propio local 3 - Um menino de 13 anos se tornou barbeiro e agora tem sua própria barbearia
Foto: A costa

Após semanas de esforço e trabalho livre para a comunidade, Rodrigo conseguiu crescer na arte do cabeleireiro e, há apenas uma semana, abriu a sua própria barbearia em casa com a ajuda dos pais e outros familiares.

O dia do “Toto” começa bem cedo, segundo o que ele mesmo contou em entrevista ao El Litoral, varrendo e limpando o espaço antes da chegada dos clientes. Assim que chegam, cuida para que sejam bem atendidos e seja educado com eles , perguntando do que precisam e como querem.

se convirtio barbero barrio 13 anos comenzo sin cobrar ahora tiene propio local 2 - Um menino de 13 anos se tornou barbeiro e agora tem sua própria barbearia
Foto: A costa

Rodrigo combina o seu trabalho de cabeleireiro com as aulas online da escola , mas isso não o impediu de continuar a aperfeiçoar-se com tesouras e máquinas nas horas vagas, sempre com o objetivo de melhorar as suas competências. Ele diz que se alguma barbearia quiser recebê-lo como auxiliar, ele estará disposto a trabalhar para continuar pagando os cursos de formação.

“Hoje, nem todo mundo corta o cabelo, nem todo mundo tem o dinheiro necessário. Não tenha vergonha e venha, vou cortar seu cabelo de graça ”.

—Rodrigo “Toto” Fernández para El Litoral de Santa Fe –

Apesar do trabalho comunitário e do grande senso de generosidade e esforço, Rodrigo diz que sua inspiração máxima é seu tio Ramón Gamarra , que faleceu recentemente da COVID-19 e não pôde ver o cabeleireiro de seu sobrinho. Ele diz que “me ensinou a valorizar, respeitar, responsabilidade, amor pelos outros e pelo trabalho”.

Por isso, pedimos aos moradores de Santa Fé que dêem um passeio no cabeleireiro “Toto” e o ajudem em seus negócios. Um menino com esse nível de desejo e determinação merece todo o reconhecimento do mundo.

Traduzido e adaptado de: UPSOCL

 

OUTRAS LEITURAS



Sensível Mente
Revista de opinião e entretenimento, sobre temas relacionados ao equilíbrio entre mente corpo e espiritualidade.

COMENTÁRIOS