Por: JCS

A intolerância, desequilíbrio emocional e agressão nesta pandemia está fazendo “policiais perderem a cabeça”. Um sargento da Polícia Militar do Ceará, estava à paisana e queria fazer compras em um mercado, como estava sem máscara, a gerência disse a ele que ele não podia fazer as compras sem o uso obrigatório da máscara, ele não concordou com máscara e nem queria sair do estabelecimento. Foi chamado então uma equipe de policiais para atender a ocorrência, onde um tenente-coronel fazia parte, o policial infrator ficou tão agressivo que deu um soco violento no rosto do tenente-coronel.

O fato aconteceu no centro de Aracati, Ceará, em um supermercado na noite de quinta-feira (11).

Assim como em outros estados no Brasil, durante a pandemia a lei diz que é expressamente proibida a entrada de clientes em estabelecimentos públicos e privados sem que esteja utilizando a máscara, inclusive em Aracati, no Ceará. Em caso de descumprimento da lei, a penalidade varia entre R$ 100 e R$ 300 para pessoas físicas e chega até R$ 1.001 para empresas de grande porte.

Todos sabemos que o uso dá máscara protege tanto os usuários quanto as pessoas próximas ao usuário, esta é uma forma excelente de combater a disseminação do coronavírus nos estabelecimentos comerciais, é uma medida que protege a vida de todos.

De acordo com o comando da Polícia Militar, o sargento agressor, que estava à paisana foi levado ao plantão policial, e foi autuado pela agressão contra o tenente-coronel e agressão verbal contra o gerente do supermercado, e, está recolhido no Presídio Militar.

A PM deixa bem claro que “não compactua com condutas ilícitas, por isso faz cumprir rigorosamente as normas legais, sem deixar de respeitar, naturalmente, os princípios da inocência, contraditório e ampla defesa”.

Imagens da câmera de segurança registraram a agressão

Toda a agressão foi registrada pelas câmeras de segurança internas do supermercado. As imagens mostram a conversa entre o tenente-coronel e outros três policiais com o sargento à paisana, o qual usava uma camisa verde para encobrir o rosto. Em um ato de descontrole emocional o sargento dá um violento soco no rosto do tenente-coronel que estava à sua frente, assim, os outros policiais interviram rapidamente e o levaram algemado para a delegacia.

Em vídeos gravados por testemunhas que faziam suas compras ali, é possível ver e ouvir o sargento algemado gritando insultos contra o tenente-coronel, como: “cachorro” e “vagabundo”.

A gerente do estabelecimento disse que assim que o policial à paisana chegou ela o abordou, na entrada, e ela questionou sobre estar sem máscara.

“Quando eu fui orientar que a gente não poderia permitir ele entrar sem máscara, porque a gente do Grupo Casa Grande se preocupa também com o todo, pois estamos no meio de uma pandemia, ele disse que não iria usar a máscara”, afirmou.

A gerente, de forma educada, disse que ofereceu uma máscara para o agressor, caso ele tivesse esquecido a dele, mas ele recusou e se recusou a receber. “Ainda sinalizei que poderia dar a máscara para ele, caso ele tivesse esquecido, e ele simplesmente me empurrou, entrou e disse que iria fazer as compras”, disse a funcionária.

Preocupada, e temendo pela segurança das pessoas em volta, ela acionou a polícia pois o agressor além de não querer usar a máscara não queria deixar o local.

Ao contrário do que aconteceu no Carrefour em Porto Alegre, a polícia foi rapidamente acionada e a situação resolvida, só que a violência, desta vez, sobrou para o policial que estava no cumprimento de seu dever. O que leva um policial a se achar tão poderoso assim ao ponto de descumprir a lei e agredir uma outra pessoa?

Com informações : Portal G1

OUTRAS LEITURAS



Revista de opinião e entretenimento, sobre temas relacionados ao equilíbrio entre mente corpo e espiritualidade.

COMENTÁRIOS