Por: JCS

Mediante o “avanço nos controles” da pandemia, a secretaria da Saúde planeja autorizar o retorno às aulas conforme sugestão do Governo Estadual

A Prefeitura de São Paulo planeja anunciar o retorno das aulas presenciais a partir de outubro, conforme coletiva de imprensa neste dia (17), mesmo com a pressão de pelo menos cinco sindicatos do setor (Simpeem, Sinesp, Dedin, Sindsep e Aprofem), estes sindicatos querem que as aulas só retornem a partir de 2021.

A prefeitura está se articulando para anunciar nas próximas coletivas os resultados de mais um inquérito sorológico. O pensamento é claro: não dá para não discutir a volta às aulas. A preocupação da gestão municipal é como fazer isso.

O retorno às aulas tem dividido as opiniões de alunos, pais e diretores de escolas, é um assunto muito polêmico pois, mesmo com todo o otimismo, a verdade é uma só: ainda não existe vacina disponível que imunize as pessoas. Assim, voltar as aulas é uma forma de contaminar o aluno e levar contaminação para a casa toda.

Por mais que a pasta da saúde queira liberar alunos, desde o fundamental até o nível superior, é um risco grande. Mesmo que se respeite a distância entre as carteiras, pois se na sala de aula uma única pessoa estiver infectada, pode contaminar toda a sala. Esta medida está causando muitas discussões entre todas as partes envolvidas.

Com informações: R7
Crédito Imagem: Pixabay

 

OUTRAS LEITURAS



Sensível Mente
Revista de opinião e entretenimento, sobre temas relacionados ao equilíbrio entre mente corpo e espiritualidade.

COMENTÁRIOS