Por: JCS

Manaus está sem uma verdadeira administração pública da prefeitura, pelo menos é o que dá a entender pela decisão da Justiça Federal. Veja bem, a Justiça Federal no Amazonas suspendeu, na terça-feira (26), a distribuição de todas as doses da vacina de Oxford (que foi desenvolvida em parceria com a farmacêutica AstraZeneca) em Manaus. Conforme o cronograma de entregas, a cidade deveria receber 74.134 doses, informou a prefeitura.

A juíza federal Jaiza Fraxe disse que a Prefeitura de Manaus precica, garantir que haja total transparência na programação e nos critérios para a vacinação contra a Covid-19. A vacinação em Manaus tinha sido suspensa na quinta (21), sendo retomada na noite da sexta-feira (22), por causa de denúncias vergonhosas de favorecimentos ilícitos de “fura-fila”, ou seja: pessoas indevidas estavam se beneficiando da vacina em lugar daquelas escolhidas pelos critérios da lei.

Em Manaus chegaram 132,250 doses da vacina de Oxford na noite de sábado (23). O Amazonas iniciou a vacinação contra a Covid assim que chegaram 282 mil doses da CoronaVac, feita pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantã.

capa oficial - Saiba o motivo da Justiça Federal suspender a distribuição de 74,1 mil doses da vacina de Oxford em Manaus!

O Surto da doença está em pleno crescimento no Amazonas, sendo que Manaus, é a cidade que mais sofre com o colapso de saúde que foi provocado pela falta de leitos e de oxigênio. Até segunda-feira (25), mais de 250 mil casos foram confirmados de Covid e registrados, e mais de 7,2 mil pessoas morreram com a infecção.

É uma vergonha imensa, presenciar pessoas tirando vantagens de seus cargos para favorecerem familiares e amigos próximos, negando o direito legítimo de pessoas que estão na fila de espera para se vacinarem, como os médicos e idosos, a falta de transparência e controle levou várias denúncias serem registradas.

A sentença da Juíza Fraxe se baseou em uma Ação Civil Pública dos Ministérios Públicos do Estado (MPE), Federal (MPF), do Trabalho (MPT) e Especial junto ao Tribunal de Contas do Estado (TCE), e Defensorias Públicas da União (DPU) e do Estado (DPE), contra o Município de Manaus.

A prefeitura de Manaus disse em nota, que a equipe de tecnologia da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) está “efetuando as correções” das falhas encontradas na lista de vacinados contra a Covid. Conforme a nota, os erros encontrados se devem a “erros de digitação” dos dados no sistema de informação, em comparação às planilhas físicas de vacinados, nos primeiros dias de campanha.

As falhas encontradas eram: duplicidade de NOMES e CPFs, sendo que 10 CPFs estão sendo investigados, conforme a prefeitura.

E não param por aí as irregularidades, a desculpa de registro eletrônico sendo comparada às planilhas físicas de registro das vacinações é um bom e claro indício de que há muitas irregularidades em Manaus.

Com informações: G1

OUTRAS LEITURAS



Sensível Mente
Revista de opinião e entretenimento, sobre temas relacionados ao equilíbrio entre mente corpo e espiritualidade.

COMENTÁRIOS