Por: JCS

Quando nos damos conta que gastamos nosso tempo e preciosa energia para agradar o desejo das pessoas, nos deparamos com uma pergunta: será que sobra alguma coisa para nós?

O padre Fábio de Melo, com sua sabedoria, tem diariamente ajudado muitas pessoas com seus pensamentos e reflexões sobre temas que são complicados e angustiantes para nós, suas mensagens nos encorajam e nos permitem ver a vida por um novo ângulo.

Recentemente ele compartilhou uma linda mensagem em sua conta do Instagram, falando sobre o valor da autenticidade. Ele tratou sobre a importância de a pessoa ser quem realmente ela é e sempre se cercar de pessoas que nos aceitam como somos. Veja que palavras interessantes:

“Recuse o fardo de querer agradar a todos. É perda de tempo. ”

De certa maneira, todos nós já passamos por esta situação. Em algum momento de nossas vidas nos percebemos fazendo coisas ou agindo para agradar as pessoas que nos cercam. Afinal quando vivemos em sociedade sempre nos preocupamos com aquilo que os outros pensam, e, quase sempre nos esquecemos de vivermos a partir do que somos e pensamos para assim, sermos felizes.

“Muitas vezes, fazemos isso porque somos incentivados pela sociedade a sempre parecer bons aos olhos das mídias e das pessoas influentes, custe o que custar”.

Aprendemos durante anos que os padrões existentes, vindos dos pensamentos e ações dos outros, são mais importantes do que aquilo que vive dentro de nós e que, devemos abandonar o pensamento de sermos fiéis a nós mesmos, tudo isso para que os outros nos aprovem e passem a gostar de nós.

De uma forma enganosa acabamos acreditando que de abdicarmos aquilo que pensamos e nos tornam pessoas únicas e nos comportarmos como a grande maioria, seremos mais amados e aprovados por todos e assim, as portas da felicidade, sucesso, amor e bons fluidos se abrirão para nós logo em seguida e colheremos felicidade e abundância e muita reciprocidade.

Contudo, existe uma dura realidade, para as pessoas que não nos conhecem e nem nos apreciam, nós jamais seremos bons o suficiente. Mesmo que façamos todas as mudanças necessárias, elas nunca nos verão com bons olhos. Sempre acharão algo em nós para criticar e nos julgar, e assim nossas vidas serão aquele círculo vicioso de tentativas e fracassos.

Quando trazemos esse comportamento à nossa consciência, percebemos que gastamos muito tempo e energia de nossas vidas procurando alcançar padrões inatingíveis, os quais nos afastam de nós mesmos e de nossos reais objetivos. Compreendemos que todos os nossos esforços foram gastos à toa e, que deveríamos de nos ter dedicado a investir em quem nós somos, e não no que os outros penam e esperam de nós.

“A reflexão do padre está correta, e firmada na sabedoria, viver para agradar aos outros é um grande fardo, que apenas rouba o nosso tempo, pois não nos leva a lugar nenhum”.

Dedique um pouco de tempo para refletir sobre essas coisas e resolva tirar esse fardo de sua vida. Você vai ver que muita coisa vai mudar em sua vida para melhor!

Afinal você merece ser feliz.

 

OUTRAS LEITURAS



Sensível Mente
Revista de opinião e entretenimento, sobre temas relacionados ao equilíbrio entre mente corpo e espiritualidade.

COMENTÁRIOS