Por: JCS

Imagens de uma câmera de segurança interna de um prédio mostraram o desfecho de uma tentativa de assalto perigosa e curiosa, o acontecido foi em Guarujá, São Paulo e as imagens foram disponibilizadas graças ao G1 nesta Sexta-feira (27), (Vídeo abaixo).

Um rapaz de 19 anos estava em frente à portaria de seu prédio, esperando um carro de aplicativo, quando um criminoso em uma bicicleta chega querendo assalta-lo, sem pensar ele imediatamente joga o seu telefone celular por entre o portão, caindo na escada e frustrando a tentativa de roubo do assaltante.

O fato aconteceu na Avenida Dom Pedro, bairro Enseada, Guarujá em frente ao condomínio residencial onde a vítima mora. Lucas Brasil de Souza Lima, contou à equipe de jornalismos que ele tinha acabado de sair do seu prédio, e esperava em frente ao portão por um carro de aplicativo para leva-lo até a casa do seu irmão.

joga celular - Rapaz jogou seu celular pelo portão para evitar prejuízo em assalto no Guarujá SP: Vídeo
Jovem jogou o celular pelo portão para não ser assaltado em Guarujá, SP — Foto: Arquivo Pessoal

Ele [motorista] estava demorando bastante, aí o criminoso chegou de bicicleta”, explica. Nas imagens, é possível ver o suspeito se aproximando de Lucas e anunciando o assalto, o ameaçando com uma arma. “Foi quando eu o vi e tomei um susto. Ele apresentou um objeto que, até então, eu não tinha identificado como arma”, disse.

Imediatamente ele jogou seu aparelho celular por dentro do portão e caiu na escadaria.

“Acho que foi o susto que me fez jogar o celular para dentro. Não foi algo pensado. Se eu tivesse tempo para pensar, acho que não tomaria aquela atitude”, afirmou.

As imagens mostram que o bandido estava tirando uma arma da cintura, contudo não deu para perceber que tipo de arma seria e nem se era de verdade.

Em seguida, sabendo que o assalto não vingou, o bandido fugiu de bicicleta. Já o dono do celular informou que, apesar do tombo levado pelo aparelho, não sofreu nem um arranhão e está funcionando perfeitamente, e ainda disse: “ele saiu de mão vazia” e riu do caso.

Depois que o susto passou, Lucas admitiu se sentir envergonhado ao lembrar da situação, meu comportamento não foi correto, pois se de fato ele estivesse com uma arma de fogo, ali ele poderia ter me matado por não entregar o celular, meu ato foi impensado.

“Não é o adequado a se fazer. É como se eu tivesse tomado essa atitude por causa do celular, mas foi só um susto, mesmo. Depois que passou, eu vi o risco que eu corri”, concluiu. Lucas achou melhor não registrar a ocorrência na Polícia Civil.

Com informações: G1

 

OUTRAS LEITURAS



Sensível Mente
Revista de opinião e entretenimento, sobre temas relacionados ao equilíbrio entre mente corpo e espiritualidade.

COMENTÁRIOS