Por: JCS

Cerca de 2,2 bilhões de pessoas no mundo não têm acesso aos serviços de água potável gerenciados com segurança. Isso ocorre em um planeta que é 71% coberto por esse elemento essencial para a vida. O que parece ser uma contradição, talvez o desafio crítico para o futuro da humanidade: como transformar a água do mar dos oceanos em água potável?. Bem, a resposta está localizada em uma pequena cidade no Quênia, perto da fronteira da Somália.

Esta nova estação de tratamento de água solar foi desenvolvida pela ONG GivePower (organização não governamental) .

O teste piloto já melhorou consideravelmente a vida dos moradores de Kiunga, uma pequena cidade no Quênia, e eles procuram reproduzir a tecnologia em outras partes da Terra. No final, você encontrará um bônus com números sobre o consumo global de água e o valor de usá-lo com responsabilidade.

Uma em cada três pessoas no mundo não tem acesso à água potável, de acordo com um relatório publicado há menos de dois meses pela UNICEF e pela Organização Mundial da Saúde. As condições são piores na África Subsaariana. É por isso que a área foi escolhida para instalar o primeiro sistema de usina solar que transforma a água salgada do Oceano Índico em água potável. Está em operação desde 2018.

 

Kiunga é o nome da cidade de pescadores em que o projeto está operando com sucesso. Foi financiado pela organização sem fins lucrativos Givepower. Graças a suas realizações, a organização está planejando replicar o projeto em outros países, como Haiti e Colômbia.

Uma usina de dessalinização típica consome grandes quantidades de energia e o processo é caro. Só pode operar em áreas com instalações suficientes para produzir e distribuir tanta energia. A ONG resolveu esses problemas usando uma tecnologia chamada “fazendas solares de água”, que envolve a instalação de painéis solares que podem produzir 50 quilowatts de energia, baterias Tesla de alto desempenho para armazená-lo e duas bombas de água que operam 24 horas por dia .

quenia 2 - Quênia inova e instala a primeira usina solar que transforma a água do oceano em água potável
Quênia instala a primeira usina solar a transformar água do oceano em água potável como uma solução potencial para a crise mundial da água

quenia 3 - Quênia inova e instala a primeira usina solar que transforma a água do oceano em água potável

Água potável para todos

O sistema pode gerar água potável para 35.000 pessoas por dia. Além disso, de acordo com a GivePower, a qualidade da água é melhor do que a de uma usina de dessalinização típica. Além disso, nem sequer tem o impacto ambiental negativo que o processo costuma causar, pois a extração de sal produz resíduos salinos e poluentes nocivos para animais e plantas.

Publicado por GivePower em Quinta-feira, 4 de abril de 2019

Após a estação chuvosa produzida pelo vento das monções, Kiunga se torna uma área de extrema seca e seus 3.500 moradores foram forçados a viajar por uma hora para coletar água.

Segundo Brightside , a única fonte disponível era de um poço localizado no mesmo canal que os animais usavam para tomar banho. Estava cheio de poluentes e parasitas, que poderiam causar doenças como E. coli e até a morte.

Até 2025, metade da população do planeta viverá em áreas que enfrentam escassez de água . A reutilização de águas residuais para recuperar nutrientes ou energia está se tornando uma estratégia central.

É o mesmo com relação ao tratamento da água do mar. Apenas 2,5% da água do planeta é constituída de água doce , número que está diminuindo com o efeito do aquecimento global em geleiras e icebergs.

Publicado por GivePower em Segunda-feira, 10 de setembro de 2018

Em tais circunstâncias, a ONG já começou a instalar painéis solares em mais de 2.500 escolas, empresas e serviços de emergência em 17 países, e está arrecadando dinheiro para financiar a construção de “fazendas solares de água” para melhorar a saúde da população e reativar a economia de áreas devastadas pela seca.

quenia 3 - Quênia inova e instala a primeira usina solar que transforma a água do oceano em água potável

O Dia Mundial da Água é comemorado todos os anos em 22 de março para aumentar a conscientização sobre a conservação, desenvolvimento e consumo responsável dos recursos hídricos.

– São necessários cerca de 3.000 litros de água para produzir comida suficiente para atender às necessidades diárias de uma pessoa.
– O download de apenas um único gigabyte (GB) de dados da Internet pode usar até 200 litros de água para resfriar os servidores usados ​​nos centros de computadores para permitir a conectividade.
– Oitenta por cento das águas residuais são liberadas nos cursos de água sem tratamento adequado.
– A pessoa média consome o equivalente a mais de 100.000 copos de água anualmente ao tomar banhos diários de dez minutos.
– A América Latina possui abundantes recursos hídricos, de acordo com o fao.org : ela recebe quase trinta por cento das chuvas de todo o planeta e possui 28.000 metros cúbicos de água per capita a cada ano, o que é superior à média mundial.
– Entre as Metas de Desenvolvimento Sustentável a serem alcançadas até 2030, a ONU estabeleceu uma meta para alcançar acesso universal e igual à água potável, serviços adequados de saneamento e higiene e reduzir a poluição
da água.

 

Texto traduzido e adaptado de Thinking Humanity/Fotos: GivePower / Facebook

OUTRAS LEITURAS






Revista de opinião e entretenimento, sobre temas relacionados ao equilíbrio entre mente corpo e espiritualidade.