Por: JCS

A maior capital do Brasil, São Paulo, ao que tudo indica, resolveu “decretar o fim do isolamento por conta e risco próprio” tudo isto para, fazer suas compras de final de ano, assim tanto os compradores quanto o comércio popular praticam ZERO de distanciamento social e mascaras de proteção, será que todo este risco vai valer à pena?

Logo cedo, no sábado (12) a estação de trem/metrô Luz, mostra a quantidade de pessoas saindo pelas escadas para irem às compras, na imagem percebe-se a enorme aglomeração, uns sem máscara, outros com a máscara no queixo se acotovelando como se a pandemia estivesse acabado totalmente, afinal, temos que aproveitar o 13º salário e as ofertas para o natal.

Um dos pontos mais movimentados do comércio paulistano é o Largo da concórdia e rua Maria Marcolina, na região do Brás, o acesso principal a esta região vem de dois pontos: Estação de trem/metrô Brás e ônibus que param na Av. Celso Garcia, esquina com o largo da Concórdia, todas estas ruas estão completamente lotadas de pessoas, e boa parte delas sem máscaras, o povo esqueceu do coronavírus e abriu mão de se proteger.

BB1bRRPx - População Paulistana decide “decretar o fim do isolamento por conta própria” para fazer as compras de final de ano.
© WERTHER SANTANA/ESTADÃO No Brás, conforme o dia avança, as calçadas vão se estreitando

As pessoas perderam o medo e querem a “sua liberdade a qualquer custo”, no centro de São Paulo, no cruzamento da Ladeira Porto Geral com a rua 25 de Março, logo cedo, no sábado (12) se vê um verdadeiro “formigueiro” de pessoas indo às compras, e olha que São Paulo está batendo o recorde de casos de covid-19 e óbitos, por mais que o governo dite novas regras, estipule horários de funcionamento do comércio e restrições de distanciamento social, parece que as pessoas não estão nem aí.

Abraçam o risco de se contaminarem e levarem o vírus para os familiares que estão em casa há meses tentando se proteger do vírus.

25 de Marco - População Paulistana decide “decretar o fim do isolamento por conta própria” para fazer as compras de final de ano.
Movimentação intensa de consumidores no entorno da rua 25 de Março, na região central da cidade de São Paulo, neste sábado (12)
Imagem: ROBERTO COSTA/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO

O que dizer deste tipo de atitude e comportamento? Não dá para culpar a administração pública, o problema está no desrespeito às normas de segurança que boa parte das pessoas resolveram desacatar, ao que tudo indica, haverá uma explosão de casos de novas infecções de Covid-19 e óbitos em São Paulo, tudo isto por teimosia das pessoas.

Na verdade, cada um fazendo o uso de sua liberdade e direito de ir e vir, “decretou o fim do isolamento por conta própria”, uma coisa é certa, o coronavírus não perdoa ninguém.

Agora é: Salve-se quem puder!

 

OUTRAS LEITURAS



Sensível Mente
Revista de opinião e entretenimento, sobre temas relacionados ao equilíbrio entre mente corpo e espiritualidade.

COMENTÁRIOS