Por: JCS

Na rua Santa Ifigênia, São Paulo, uma cena gerou perplexidade à população que circulava ali, um policial militar aponta a sua arma para o rosto do outro policial fazendo ameaças durante uma discussão, isto é inadmissível.

Conforme imagens abaixo, que estão circulando pelas redes sociais, um quadro inadmissível e vergonhoso aconteceu ontem, sexta-feira (04) na rua Santa Ifigênia, centro, São Paulo. Em pleno movimento comercial, numa calçada, um policial militar fardado discute com outro colega policial, o ameaçando com uma arma apontada para o seu rosto, dando a entender que daria um tiro no colega, no decorrer do fato, ambos se atracam em plena rua.

Conforme apurações do portal G1, o motivo da discussão foi um atraso de alguns minutos na troca de turno no almoço. Conforme a polícia militar, o policial que está apontando a arma foi quem chegou atrasado, a reação descontrolada e desequilibrada se deu por conta que o colega, que é um cabo, lhe informou que informaria ao comando superior o seu atraso, então, ele ficou irado e apontou a arma para o rosto do outro fazendo ameaças.

A Secretaria da Segurança Pública (SSP) foi procurada para comentar sobre o grave caso acontecido, e disseram que: assim que as imagens chegaram nas redes sociais, os policiais militares (PM) que estavam envolvidos na discussão foram afastados do patrulhamento de rua.

A equipe de reportagem informou que o policial que apontou a arma para o colega de farda foi preso em flagrante pela PM por crime militar e violência contra superior qualificado pelo uso de arma, que é um crime militar inafiançável. Ele foi transferido para o Presídio Militar Romão Gomes, na Zona Norte da Capital.

O comando da PM, através de uma nota, disse que a atitude dos dois policiais é “gravíssima e repulsiva” e também que a ameaça com arma em punho “viola frontalmente os valores fundamentais da instituição, especialmente a disciplina, a hierarquia, o profissionalismo, a honra e a dignidade humana, exigindo assim punições severas, na medida de sua gravidade”.

“Por se tratar de crime milita, todas as circunstâncias em que os fatos se deram estão sendo apuradas pela autoridade competente, em sede de polícia judiciária militar. O autor da ameaça foi preso em flagrante delito pelo crime de ameaça (artigo 223 do Código Penal Militar) e violência contra superior qualificada pelo uso de arma (Artigo 157 do Código Penal Militar) e será conduzido ao Presídio Militar Romão Gomes.”

Esta é uma cena clara de descontrole emocional e abuso de poder por estar portando uma arma de fogo, a pessoa se acha no direito de ameaçar a vida do outro apontando uma arma.

Esta cena nos leva a refletir que: “se policiais que são preparados com muito treinamento técnico, psicológico para exercerem esta função de PROTEGER A POPULAÇÃO, protagonizam uma cena destas de, descontrole e ameaça, imagine o que não aconteceria nas ruas se toda a população andasse armada! ”

Com informações: Portal G1

 

OUTRAS LEITURAS






Revista de opinião e entretenimento, sobre temas relacionados ao equilíbrio entre mente corpo e espiritualidade.