Por: JCS

Personagens que nos inspiram

Ao contrário de muitas celebridades do futebol, o famoso jogador Sadio Mané é uma pessoa discreta que não gosta de ostentar vida luxuosa, não se exibe em iates ou carros luxuosos e, foge ao máximo de baladas.

Ele agradece ao futebol por tudo o que conquistou financeiramente, mas, seu prazer maior é ajudar os habitantes de sua cidade natal, Sédhiou, Senegal.

Ele é um sucesso absoluto em seu time Liverpool, Inglaterra, onde ama jogar com seus amigos famosos. Seu salário semanal gira em torno de R$ 1.125.000,00 – mesmo assim, ele se diferencia pela forma com que encara as riquezas e onde quer investir. Escolheu compartilhar parte de seu dinheiro com pessoas humildes e carentes da cidade onde nasceu.

Mane e seus companheiros 1 - Para que eu quero 10 Ferraris, 20 relógios ou 2 aviões? O que devo fazer pelo meu mundo?”. Sadio Mané
(Photo credit should read GLYN KIRK/AFP/Getty Images)

“Ele perguntou: para que é que eu quero 10 Ferraris, 20 relógios de diamante ou 2 aviões? O que devo fazer pelo meu mundo?”.

Então, passei fome, trabalhei no campo, sobrevivi às guerras, joguei futebol descalço, não tive educação e outras coisas ruins, mas agora quero agradecer ao futebol, posso ajudar meu povo.

Ele construiu casas, um estádio, comprou roupas, sapatos, comida para pessoas de extrema pobreza. Além disso, dá uma mesada de 70 euros para todas as pessoas de uma região muito pobre do Senegal que contribuem para a economia familiar.

Mane 3 - Para que eu quero 10 Ferraris, 20 relógios ou 2 aviões? O que devo fazer pelo meu mundo?”. Sadio Mané

Não é necessário exibir carros de luxo, mansões enormes, viagens, muito menos aviões; prefiro que os meus recebam um pouco do que a vida me deu.

Sadio Mané, um jogador que tem um coração enorme, que não nega sua humilde origem e, quer sempre ajudar o seu povo.

Parabéns a esta atitude humana e exemplar.


OUTRAS LEITURAS


Sensível Mente
Revista de opinião e entretenimento, sobre temas relacionados ao equilíbrio entre mente corpo e espiritualidade.

COMENTÁRIOS