Por: JCS

O vírus que gera a Covid-19, infelizmente, pode sobreviver e permanecer em algumas superfícies como telas de aparelhos celulares, aço inoxidável e notas de dinheiro por até 28 dia, confirmam os pesquisadores.

Esta descoberta foi feita pela agência científica nacional da Austrália e sugere que o SARS-Cov-2 pode permanecer vivo em superfícies por muito mais tempo do que se imaginava, portanto, vale a pena se prevenir.

Contudo, alguns especialistas ainda duvidam que haja uma real ameaça de contaminação em superfícies lisas, como é o caso dos tão famosos celulares.

Quase todos acreditam que a principal forma de transmissão do vírus é através da tosse, espirro ou no momento que uma pessoa contaminada fala, assim espalha-se pequenas gotículas de saliva contaminadas que podem infectar outra pessoa.

Alguns estudos feitos já realizados em laboratórios apontaram que o SARS-Cov-2 conseguia sobreviver entre dois e três dias em superfícies lisas, como vidro e cédulas de dinheiro, e cerca de até seis dias em superfícies de plástico e aço inoxidável, porém este resultado varia conforme os laboratórios, mas é certo dizer que o vírus permanece letal em superfícies lisas sim, com possibilidade de contaminação.

Conforme a última pesquisa realizada pela agência australiana CSIRO, comprovou-se que o vírus era “extremamente robusto”, se mantendo vivo por até 28 dias nas superfícies lisas, como é o caso dos vidros de aparelhos celulares, inclusive nas notas de papel e plástico, isto é, quando mantidos a 20° C, que é considerada como temperatura ambiente.

Estes experimentos foram feitos em ambiente escuro, porque a luz ultravioleta já demonstrou que mata o vírus.

“Estabelecer por quanto tempo o vírus realmente permanece nas superfícies nos permite prever e mitigar sua disseminação com mais precisão, e fazer um trabalho melhor de proteger o nosso povo”, afirmou o presidente –executivo da CSIRO, Larry Marshall.

Lançando um olhar diferente sobre este estudo, o professor Ron Eccles, ex-diretor do Common Cold Centre, da Cardiff University, teceu várias críticas sobre o estudo dizendo que: Sugerir que o vírus viva até 28 dias em superfícies lisas pode causar um “medo desnecessários nas pessoas”.

“Os vírus se espalham nas superfícies a partir do muco de tosses, espirros e dedos sujos. E este estudo não usou muco humano fresco como veículo para espalhar o vírus”, afirmou o professor Eccles.

Mesmo assim, a título de prevenção, higienizar os celulares e evitar contato com cédulas de dinheiro é um cuidado que pode evitar muitas dores de cabeça com a covid-19.

Com informações: UOL

Crédito imagem: Pixabay

 

OUTRAS LEITURAS



Sensível Mente
Revista de opinião e entretenimento, sobre temas relacionados ao equilíbrio entre mente corpo e espiritualidade.

COMENTÁRIOS