Por: JCS

Todos os dias saímos de casa para trabalhar, pois precisamos “ter” dinheiro e assim “comprarmos” coisas para nós e nossas famílias, se não bastasse isto, dedicamos horas à especialização profissional para “continuarmos” no mercado de trabalho e assim levarmos o sustento à nossa família, contudo, às vezes nessa busca do “ter” deixamos em último plano coisas tão importantes para nossas vidas.

Exemplo disto é o quanto de tempo passamos no trabalho, estudo, reuniões, e até abrimos mão das horas de almoço e descanso para atendermos clientes, patrões. Chegamos em casa muito cansados e não conseguimos ter o devido tempo para a esposa e filhos.

É evidente que a maioria das pessoas se entregam a essa maratona por serem as pessoas que pagam todas as contas da casa, afinal isto é mais que necessário.

“A vida se mantém no equilíbrio de todas as coisas”. Contudo, há que se ter uma moderação entre o trabalhar e o descansar, veja, precisamos trabalhar para viver e não vivermos para trabalhar, caso contrário nosso corpo e mente entrará em pane.

Dar demasiada atenção ao trabalho sem dar a devida manutenção ao corpo, trará danos às vezes irreparáveis à saúde. Você deve conhecer alguém perto de você em seu trabalho que já teve enfarto, derrame cerebral, crises de ansiedade e pânico. Essa é uma forma do corpo dizer que algo não está sendo bem tratado nele. Precisamos refletir, se, realmente o dinheiro vale o sacrifício de nossa saúde.

Você já parou para pensar o quanto as pessoas estão sofrendo com o estresse e a depressão ?, cansaço físico e mental, excesso de peso em decorrência da má alimentação, desequilíbrio emocional. Doenças são formas de o corpo mostrar que está sendo maltratado, e, é hora de buscarmos um equilíbrio entre trabalho e lazer, caso contrário nossa máquina para de trabalha.

Ao olharmos por este ângulo podemos entender que: nenhum valor em dinheiro vale a nossa paz de espírito e saúde, de que adianta ganharmos ótimo salário e termos que gastar com a doença e remédios?, nada disto compensa o desgaste do corpo e da mente, há que se pensar que a felicidade tem que ser nossa meta de vida.

Mesmo que haja uma consciência que o desgaste da saúde física e mental é causada pelo trabalho, precisamos fazer alguma coisa que traga harmonia à nossa maneira de viver. Caso contrário o corpo fará “greve” e a saúde nos impossibilitara de trabalharmos. Uma forma simples de dar tempo ao corpo é se exercitando, 20 minutos de caminhada ao dia pode trazer várias curas à mente e ao corpo.

Convém lembrar que trabalhamos para viver e não vivemos para trabalhar. O trabalho é parte de nossa vida e não o objetivo dela. Há coisas muito importantes para a vida, por exemplo: o equilíbrio pessoal, a família, amigos, saúde, lazer. Não devemos permitir que o excesso de trabalho nos prive das coisas boas da vida.

Mente e emoções saturadas geram estresse e infelicidade. A verdade é uma só: sua empresa continuará no mesmo endereço, mesmo que você não esteja presente, outros farão o mesmo que você faz.

Cuide-se bem, ame-se, trate de seu corpo e mente como o bem mais precioso que a vida te deu, invista seu potencial em causas que te faça bem

Um novo trabalho logo conseguiremos, porém, um corpo e mente doente, às vezes demora-se muito tempo para sarar. Você merece e precisa ser bem cuidado, trate bem de seu corpo e ele te levará muito longe.

Este texto foi escrito exclusivamente para o site Sensível-Mente. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos


OUTRAS LEITURAS


Sensível Mente
Revista de opinião e entretenimento, sobre temas relacionados ao equilíbrio entre mente corpo e espiritualidade.

COMENTÁRIOS