O ex-presidente Carlos Menem morreu este domingo aos 90 anos de idade. Ele ficou vários dias internado por uma “infecção urinária” que se complicou e que o obrigou a ser hospitalizado por problemas “básicos” cardiológicos. A notícia foi confirmada ao Clarín pela Equipe de Menem, de onde destacou que a saúde do presidente teve complicações nas últimas horas que levaram à morte do governante da Argentina nos anos 90.

“ Siga-me, não vou decepcioná-lo ” , prometeu Carlos Menem em sua primeira campanha eleitoral que o levou à presidência da Argentina em maio de 1989. Foi, talvez, sua frase mais famosa, mas que só o tempo colocará em sua verdadeira dimensão. Num país conturbado – hiperinflação, saques, incertezas – como o da época, ninguém imaginava para onde Menem nos levaria.

Seu governo foi marcado pela transformação da economia, com uma grande abertura comercial e um intenso processo de privatização de empresas públicas, mas também pelas denúncias de corrupção, que teve de enfrentar nos tribunais nos últimos anos, enquanto era senador, cargo que ocupa desde 2005.

OUTRAS LEITURAS



Sensível Mente
Revista de opinião e entretenimento, sobre temas relacionados ao equilíbrio entre mente corpo e espiritualidade.

COMENTÁRIOS