Por: JCS

Um idoso de 75 anos que vivia em situação de rua foi encontrado sem vida em uma estação ferroviária. Ele tinha o equivalente a R$ 643 mil no banco, títulos acionários e uma aposentadoria. O motivo pelo qual escolhia viver de maneira tão precária ainda é um mistério.

Umberto Quintino Diaco, um idoso de 75 anos que vivia em situação de rua, foi encontrado sem vida em Milão, no norte da Itália. Ele tinha 100 mil euros em uma conta bancária (o equivalente a R$ 643 mil atualmente). Além disso, o idoso possuía 19 mil euros em títulos acionários.

O homem foi encontrado morto na última quinta-feira (28), em uma cabana improvisada com papelão na estação ferroviária de Porta Garibaldi, na capital da Lombardia.

A perícia apurou que o homem faleceu em decorrência do frio e de patologias pré-existentes.

capa oficial - Morador de rua de 75 anos é achado sem vida em estação ferroviária e tinha mais de R$600 mil no banco

Os investigadores descobriram, no entanto, que o idoso possui um patrimônio incompatível com a condição em que ele vivia.

Também se descobriu que Diaco recebia uma aposentadoria no valor de 750 euros em Munique, na Alemanha, e possuía uma casa na região da Calábria e dois furgões com apólices de seguro pagas.

No corpo do homem, os policiais encontraram 1.235 euros em espécie. Em entrevista ao jornal Corriere della Sera, a irmã mais velha de Diaco, Chiarina, contou que ele havia fugido de casa quando tinha 17 anos. “Procuramos por ele, que nunca se deixou encontrar”, disse.

Caso Diaco não tenha deixado herdeiros, a irmã ficará com seus bens.

A mulher descobriu recentemente que Diaco trabalhou no setor de construção civil na Alemanha e teria passado também pela Suíça.

“Entendi que ele havia escolhido aquela vida, mas nunca deixamos de procurá-lo”, disse Chiarina.

Com informações: Jornal de Brasília.

OUTRAS LEITURAS



Revista de opinião e entretenimento, sobre temas relacionados ao equilíbrio entre mente corpo e espiritualidade.

COMENTÁRIOS