Por: JCS

O maestro e pianista brasileiro João Carlos Martins comoveu a web após postar um vídeo no Facebook. Ele simplesmente voltou a tocar com um par de luvas biônicas, pois foi este o seu presente de Natal.

O fato dele voltar a tocar é uma grande conquista e superação. Este ano ele passou pela 24ª cirurgia, para tratar dos nervos do braço esquerdo, e, assim para com as dores crônicas, acontece que os médicos disseram a ele que não poderia mais tocar piano, sendo que a mobilidade das mãos ficaria muito reduzida.

Para contrariar o dito dos médicos, João Carlos Martins ganhou de presente de natal um par de luvas biônicas que lhe permitiu voltar a tocar, e esse feito tem comovido as pessoas nas redes sociais
O vídeo foi postado dia 24, e viralizou conseguindo milhares de visualizações e centenas de comentários e compartilhamentos

Um belo Presente

“Um pequeno presente de Natal do maestro e também estudante de piano, com as “mãos biônicas” do Bira de Sumaré. É só um primeiro passo. Vamos caminhando!!!!”, postou João Carlos Martins no Facebook.

As luvas biônicas foram um presente de Ubiratan Bizarro Costa, designer industrial automotivo e professor de desenho de São Paulo.

“Órteses que projetei para o maestro João Carlos Martins. A arte de João não pode parar”, postou Ubiratan no Instagram, ao lado da foto do presente (conforme abaixo)

Ele disse como as luvas funcionam:

“Projetei e imprimi partes em uma impressora 3d em ABS, outras peças em outros materiais. São luvas adaptadoras que ajudam a flexionar os dedos. As hastes pretas sobre cada dedo funcionam como molas. Quando o maestro aperta as teclas do piano para baixo, as hastes flexíveis puxam para cima, retornando os dedos novamente para a posição normal”, falou Ubiratan.

“É uma solução simples, ou seja, um design minimalista. Mas para eu chegar nesta solução foram 5 meses de projeto e 4 protótipos diferentes”, afirmou.

A arte da Superação

O maestro João Carlos Martins é conhecido em sua arte musical pelos vários exemplos de superação de obstáculos, passou por vários acidentes e problemas com suas mãos, em sua carreira de sucesso, teve que parar de tocar várias vezes.

Sua luta começou após um acidente em uma partida de futebol, em 1965, em Nova York, ali ele sofreu uma queda em campo e perfurou seu braço direito na região do cotovelo, comprometendo o nervo ulnar, provocou então atrofia em três dedos, fazendo-o parar de tocar por um ano, o que lhe fez tocar com dificuldades até os 30 anos.

Assim que voltou ao Brasil, se apresentava nos palcos, com muita dificuldade, fazia fisioterapias intermináveis, recebeu críticas positivas e negativas.

Em seguida desenvolveu distúrbios osteomusculares por conta de seu trabalho repetitivo, conhecido como DORT, o que o fez sair dos palcos mais de uma vez.

Em 2001, ele gravou o álbum Só para a Mão Esquerda, e ainda com várias sequelas no outro braço.

Em 2012 João foi submetido a uma cirurgia para implantar dois eletrodos no cérebro., com um estimulador eletrônico no peito, com o objetivo de recuperar os movimentos da mão esquerda.

Em 2017, executou o Hino Nacional brasileiro na abertura dos Jogos Paralímpicos de 2016

O maestro com o designer Ubiratan Bizarro Foto Facebook - Maestro João Carlos Martins voltou a tocar neste Natal após ganhar luvas biônicas.
Foto: reprodução Facebook
Órteses criadas por Bira - Maestro João Carlos Martins voltou a tocar neste Natal após ganhar luvas biônicas.
Foto: Reprodução Facebook
3 1 - Maestro João Carlos Martins voltou a tocar neste Natal após ganhar luvas biônicas.
Foto: Reprodução Facebook
4 2 - Maestro João Carlos Martins voltou a tocar neste Natal após ganhar luvas biônicas.
Foto: Reprodução Facebook

Um pequeno presente de Natal do maestro e também estudante de piano, com as “mãos biônicas” do @biradesigner8 de Sumaré. É só um primeiro passo. Vamos caminhando!!!!

Posted by Maestro João Carlos Martins – Oficial on Tuesday, December 24, 2019

Com informações: SNB

OUTRAS LEITURAS



Sensível Mente
Revista de opinião e entretenimento, sobre temas relacionados ao equilíbrio entre mente corpo e espiritualidade.

COMENTÁRIOS