Por: JCS

Ali Sanders, teve que fazer uma escolha bem difícil, ela havia adotado dois irmãos gêmeos, ao saber que estava grávida, decidiu com o marido devolver os bebês. Ela e o esposo Michael, atualmente moram na Inglaterra, eles contam que decidiram adotar os gêmeos quando os médicos disseram que ela teria enormes dificuldades para engravidar.

“Eu já tinha visto muitas amigas sofrerem com tratamentos para engravidar e eu não queria isso para mim”, afirmou Ali em entrevista concedida ao jornal britânico Daily Mail.

Eles enfrentaram várias burocracias internas para regularizarem a papelada da adoção, conseguiram a liberação para serem os pais dos dois meninos gêmeos, que na época tinha cerca de oito meses de vida.

Os dois foram até o orfanato para visitarem os pequenos irmãos. “Eles eram tão gordinhos e tinham grandes olhos castanhos! Eram maravilhosos”, disse Ali. Apesar deles serem uma fofura de crianças, ela confessa que o marido logo criou uma conexão emocional com as crianças, enquanto ela ainda não conseguia sentir nada.

“O Michael, meus pais e os meus sogros se encantaram por eles imediatamente. Mas eu sentia como se aquilo não fosse real. Eu sentia como se eu estivesse fingindo ser mãe”, informou a jovem mãe adotiva.

Preocupada com esta falta de sentimento, procurou ajuda médica para saber os motivos. Como de costume, os médicos pediram alguns exames, inclusive um de urina, porém, o resultado do exame de urina a deixou estarrecida: Seu sonho antigo se realizou, estava grávida. “Eu fiquei chocada! Todos os médicos antes haviam dito que era impossível eu engravidar naturalmente! Voltei para casa e mandei meu marido comprar o teste de gravidez mais caro que tinha! Fiz novamente e deu positivo de novo!”.

O curioso foi que, este resultado veio um dia antes da adoção dos gêmeos ser oficializada. “Inicialmente eu e meu marido ficamos em silêncio. Mas em determinado momento ele virou para mim e perguntou: ‘Nós temos que decidir isso. Você quer seguir com a adoção ou não?’. E eu respondi que não.”

Mesmo não sentindo nada pelas crianças, quando a assistente social chegou para retira-los, Ali ficou em lágrimas, pois “os amava”. Este caso aconteceu em 2014, e ela afirma que não conseguiu se perdoara até hoje: “Eu abandonei crianças que já haviam sido abandonadas”.

Na verdade, Ali demorou um bom tempo para amar seu filho biológico, Jacob, que tem 3 anos. Logo após engravidou de uma menina.

Desde então, Ali não teve mais nenhum contato com os gêmeos devolvidos, apenas escreveu uma carta que deverá ser entregue a eles quando já tiverem crescido e tiverem consciência que foram rejeitados pela segunda família.
“Na carta eu disse apenas que não era culpa deles e que eu sentia muito por tê-los devolvido”, explicou a mulher.

Com informações: Educadoraam

OUTRAS LEITURAS



Sensível Mente
Revista de opinião e entretenimento, sobre temas relacionados ao equilíbrio entre mente corpo e espiritualidade.

COMENTÁRIOS