Por: JCS

O empresário Wallace Costa, conta que quando tinha 14 anos, resolveu fazer as unhas de Priscila, a filha de sua vizinha dona lena, na favela Kelsons, complexo da Maré, Rio de Janeiro. O primeiro trabalho dele foi tão bem feito que teve que ficar na casa para fazer as unhas da irmã de Priscila, Indrid. Logo em seguida ele se matriculou em um curso de manicure.

Apesar da profissão “manicure” ser definida pelo dicionário como “mulher” especializada no tratamento e embelezamento das unhas das mãos e dos pés. Wallace viu ali uma oportunidade de montar sua carreira profissional, resolveu então passar por cima dos preconceitos e trabalhar muito.

No próprio curso de manicure, onde quase todos os alunos são mulheres, Wallace enfrentou preconceitos, mesmo assim ele seguiu em frente, ele é heterossexual, casado e pai de um filho de 2 anos.

Ele resolveu transformar todo o preconceito em torno da profissão em marketing positivo a seu favor. “Eu tô aqui para quebrar tabu! ”

20 anos se passaram desde que fez as primeiras unhas das filhas de dona Lena, e o profissional confessa que já atendeu mais de 100 mulheres. Para fugir dos preconceitos em torno da profissão, Wallace se auto-define como “O Rei das Unhas”, ele acha que o termo em inglês melhor o define: “nail designer” ( disigner de unhas).

Ele faz o procedimento Alongamento de unhas

Após as unhas serem lixadas, ficando bem curtas, o profissional aplica nelas uma peça feita de acrílico e gel (ou fibra de vidro e gel, ou porcelana). E assim, para acelerar a fixação, coloca a região da ponta dos dedos em uma pequena cabine que emite raios de luz LED ou ultravioleta. Já na finalização, ele cria várias combinações de cores e mosaicos que deixam as unhas extremamente belas.

Atualmente seu trabalho é muito solicitados e todos o consideram como um grande artista de unhas.

O studio

Logo que entra, se vê o Brasão dourado com as iniciais WC – Wallace Costa, local suntuoso, clean e muito bonito. Fica instalado em um prédio na esquina da rua Arroz com a Feijão, no segundo andar, centro comercial atacadista da Penha, Zona norte do Rio.

Ao lado de sua mesa, onde atende suas clientes, há uma prateleira iluminada, com várias tonalidades de esmaltes para que as clientes escolham a melhor cor.

entre o brasao a cliente e os esmaltes coloridos 1602488012343 v2 750x421 - Homem supera preconceito se torna “manicure”
Imagem: Paulo Sampaio/UOL

Conforme o portal Uol, quando a reportagem foi feita no dia 9, sexta-feira à tarde, haviam 3 mulheres que estavam sendo atendidas por ele. Cada uma ficou cerca de 3 horas e investiu cerca de R$ 200 reais. Este valor é pago no primeiro alongamento e a cada 30 dias, na manutenção.

 

Com informações: Portal UOL

OUTRAS LEITURAS



Sensível Mente
Revista de opinião e entretenimento, sobre temas relacionados ao equilíbrio entre mente corpo e espiritualidade.

COMENTÁRIOS