Por: JCS

A Espanha pretende retirar as restrições impostas à população para conter a COVID-19, contudo, a ação acontecerá em 4 etapas distintas, e não há ainda datas pré-estabelecidas, foi o que informou, o premiê espanhol, Pedro Sánchez, terça-feira (28).

“Teremos que aprender a nova normalidade. Se gostávamos de comer uma paella no restaurante ao lado de casa, agora teremos que buscá-la no restaurante e comer em casa”, afirmou.

O premiê informou que o país deve passar por uma forte recessão, e que “a conta não será paga pelos de sempre”. Consciente da gravidade que afeta a todos os cidadãos, pretende criar novos tributos que incidam sobre operações digitais e transferências financeiras e, também, quer criar um sistema de renda mínima para as pessoas menos favorecidas financeiramente.

A primeira etapa do desconfinamento deverá começar em 4 de maio, sendo que cada etapa, caso sejam alcançados os objetivos propostos, devem durar ao menos 14 dias.

Haverá um controle total nas províncias, que só passarão para a etapa seguinte se atingirem todos os indicadores impostos aos sistemas de saúde, ao número de contágios da COVID-19 e à condição da economia.

Sánchez prevê que determinada região poderá voltar à etapa anterior, caso o desempenho numérico piore. “Não podemos pôr a perder o que conquistamos com o sacrifício dos profissionais de saúde, dos idosos e das crianças. Vamos recuperar a atividade palmo a palmo, se mantivermos a disciplina.”

Espanha começa a provar o efeito do confinamento - Espanha informa que desconfinamento acontecerá em 4 etapas, porém sem datas fixas
Foto: Reprodução

O objetivo é proteger a vida, portanto, durante o processo de desconfinamento, não pode existir viagens entre uma província e outra. Pedro Sánchez informa que, se tudo der certo, dentro do planejado, as restrições terminarão em todo o país entre seis a oito semanas.

Uma medida muito coerente é que as escolas voltarão às aulas em setembro, a regra será bem clara: “o uso de máscara de proteção será obrigatório a todos” que estiverem nas ruas, transporte público, já os idosos devem evitar ao máximo saírem de suas residências no período da transição.

A etapa 0, é chamada de “preparação para a desescalada”, os restaurantes não abrem mas, pode vender comida ONLINE para viagem, os treinos esportivos individuais serão permitidos e treinos básicos das equipes profissionais.

A etapa 1, a data depende dos resultados alcançados por cada província, onde, lojas pequenas devem abrir, exceto as que ficam em shoppings, centros comerciais que promovam aglomerações.

Restaurantes e bares com área externa devem funcionar, com limite de ocupação de 30%, hotéis voltam a funcionar, exceto nas áreas comuns.

As celebrações de cultos religiosos voltam, só que com no máximo com 10% de ocupação, os esportes de alto rendimento voltarão a serem praticados.

A etapa 2, ou “intermediária”, os restaurantes estão autorizados a ocuparem 30% das mesas nos espaços internos.

As escolas estão autorizadas a dar aulas de reforço ou receber as crianças que são menores de 6 anos em que os pais necessitem trabalhar fora de casa.

Cinemas, teatros e auditórios reabrirão, desde que limitem a 10 % da sua capacidade, museus só podem receber 30% , os espetáculos podem receber no máximo 50 pessoas em áreas fechadas, já nos locais abertos 400 pessoas, desde que as pessoas fiquem sentadas. Igrejas terão a ocupação aumentada para 50%.

Na última etapa, lojas e restaurantes devem aumentar a ocupação, desde que se mantenha o distanciamento e as medidas de proteção.

A Espanha é um dos países que mais sofreram baixas com a pandemia e entrou em uma fase de redução de mortes diárias. Tanto que em 24hs, houve 301 óbitos causados pela COVID-19, esta é a segunda menor contagem registrada em cinco semanas.

Com tantas mortes assim, todo cuidado ainda é pouco, erros e desobediências às normas custam a vida das pessoas.

Com informações: gauchazh

 

OUTRAS LEITURAS



Sensível Mente
Revista de opinião e entretenimento, sobre temas relacionados ao equilíbrio entre mente corpo e espiritualidade.

COMENTÁRIOS