POR: JCS

Neste domingo (25), a Espanha e Itália comunicaram a adoção de várias medidas para conter uma NOVA ONDA DE INFEÇÕES pelo Coronavírus. A Europa passa por um grande aumento de novos casos da doença covid-19, o que tem forçado os governos a implantarem novas restrições à circulação da população.

Pedro Sánchez, primeiro-ministro da Espanha, declara um 2º Estado de Emergência que vai durar seis meses.

As medidas restritivas para o confinamento são: confinamento noturno em todo o país (exceto nas Ilhas Canárias), entre 23h e 6h, e a autorização para que outras regiões apliquem outras restrições de movimento, entre elas, a proibição de reuniões com mais de 6 pessoas e fechamento do comércio.

Nesta última sexta-feira (21), a Espanha foi o 1º país da União Europeia e o sexto do mundo a ultrapassar a marca de um milhão de casos de cidadãos infectados pela Covid-19

Os dados confirmam o motivo das novas medidas, afinal, no sábado (24), a Espanha confirmou 231 novos óbitos por conta da covid-19, este é o maior número desde 29 de abril, quando haviam sido registrados 224 óbitos, conforme a OMS. No pico da primeira onda, em 30 de março, 888 pessoas morreram.

000 8tj4re - Espanha implanta novamente estado de emergência e a Itália começa a fechar estabelecimentos par contenção da 2ªonda da Covid-19
Paramédico retira mulher de uma ambulância na entrada de hospital em Burgos, na Espanha, na quarta-feira (21) — Foto: Cesar Manso/AFP

Nesta segunda onda, mais jovens estão sendo infectados, assim, está sendo menos letal do que na primeira onda, que teve seu clímax durante o fim de marco e início de abril, onde tinham cerca de 800 óbitos por dia. Alguns especialistas estão prevendo que os hospitais podem entrar em colapso novamente.

A Itália também está implantando novas restrições como retorno das aulas virtuais para o ensino médio e o fechamento das academias. Nas últimas 24 horas o pais registrou aproximadamente 20 mil novos casos de infeções, é um número muito alto e preocupante.

Conforme o premiê Giuseppe Conte, o objetivo é não retornar um “lockdown”, mas retornar um fechamento gradual para que o país “volte a respirar em dezembro”.

Os bares e restaurantes estão proibidos de atender pessoas no local após as 18h, somente em serviços de entrega ou que os interessados retirem no local suas refeições para levar para casa. Os museus continuam abertos, contudo, o governo italiano insiste para que a população fique em casa o máximo possível.

“Semanas muito duras virão”

“Semanas muito duras virão, o inverno (europeu) está chegando, a segunda onda não é mais uma ameaça, é uma realidade em toda a Europa”, advertiu o ministro da Saúde, Salvador Illa, afirmando que o governo está “aberto a todas as abordagens possíveis” para evitar o vírus e a covid-19.

A Espanha foi duramente castigada pela pandemia e foi um dos países mais atingidos na primeira onda, até que resolveu aplicar um dos maiores confinamentos da Europa, entre março e junho e controlar as infecções.

Os casos voltaram a se multiplicar grandemente a partir de julho, afinal, as autoridades tentando salvar a temporada de turismo, que é um dos pilares da economia espanhola,  priorizaram a economia e as pessoas voltaram a ser infectadas.

Com informações: Portal G1

OUTRAS LEITURAS



Sensível Mente
Revista de opinião e entretenimento, sobre temas relacionados ao equilíbrio entre mente corpo e espiritualidade.

COMENTÁRIOS