Por: JCS

Falar de encontro pacífico entre palestinos e israelenses é quase uma utopia. Contudo, em tempos de pandemia, parece que a saúde de ambos é a prioridade, tanto que as autoridades de Israel e Palestina sentaram-se à mesa para fazerem uma medida de cooperação e combaterem o coronavírus.

“Este é o momento de deixar de lado as nossas diferenças e trabalhar em conjunto contra a pandemia, que não distingue entre árabes e judeus”, afirmou um dos líderes da Autoridade Palestina.

Inhaim Milhem, porta-voz da Autoridade Palestina, anunciou a criação do gabinete.

Conforme suas palavras, foi uma medida urgente e necessária para conter a propagação do vírus nos dois lados da fronteira.

“As nossas fronteias comuns e relações não deixam espaço de hesitação para tomar medidas severas e cooperar ao mais alto nível para evitar a propagação do vírus. ”

Israelenses e Palestinos - Coronavírus “apazígua” palestinos e israelenses: a saúde é a grande prioridade
Israel e Palestina deixaram diferenças de lado para impedir a disseminação do novo coronavírus nos dois lados da fonteira. Foto: Reprodução/RTP

“Estamos falando de saúde, que é a nossa prioridade máxima”

Os primeiros casos do coronavírus foram registrados no início do mês, no Hotel Angel, em Beit Jala, cidade próxima de Belém, Cisjordânia.

“As medidas que tomamos na área de Belém, depois de detectar os primeiros casos, foram feitas em coordenação com as autoridades israelitas”, informou ao Jerusalém Post, um dos responsáveis palestino pela área da saúde.

Disse ainda que Israel forneceu kits de teste para o coronavírus e os palestinos fizeram as análises nos hospitais israelenses.

O chefe do departamento internacional da Administração Civil, Yotam Shefer, comunicou que nas últimas três semanas o Gabinete do Coordenador para as atividades nos Territórios, em colaboração com o Ministério da Saúde, trabalhou para prestar ajuda aos palestinos na luta contra o coronavírus – da área civil até a segurança.

“Estamos falando de saúde, que é a nossa prioridade máxima”, concluiu.

No ano passado, presenciamos voluntários israelenses levando vários palestinos para verem e conhecerem o mar pela primeira vez.

DOAÇÕES

Israel doou à Cisjordânia 20 toneladas de desinfetante, 400 kits de testes para coronavírus e cerca de 500 itens de proteção para as forças de segurança e equipes de saúde.

CASOS CONFIRMADOS

Em ambos os territórios, agentes locais da saúde fazem um trabalho de conscientização e prevenção à população sobre os perigos e cuidados com a doença. O controle da fronteira e dos trabalhadores que passam pelo local também foi muito reforçado.

Até a semana passada, Israel tinha registrado 500 casos de pessoas contaminadas com o coronavírus, e nenhuma morte foi confirmada. A palestina, igualmente, contabilizou 44 infectados pelo Covid-19.

Com informações: SNB

OUTRAS LEITURAS



Sensível Mente
Revista de opinião e entretenimento, sobre temas relacionados ao equilíbrio entre mente corpo e espiritualidade.

COMENTÁRIOS