Por: JCS

Os especialistas em infectologia dizem que se tivessem US$ 1 bilhão para investirem no combate à Covid-19, direcionariam a projetos promissores de vacina, assim, conseguiriam salvar mais vidas e reabririam a tão sofrida economia no mundo.

É um consenso entre as empresas de biotecnologia e farmacêutica, que o laboratório que conseguir êxito na vacina ganhará muito dinheiro, isto é, caso consiga. Seguindo este raciocínio de lucro, na semana passada a Empresa americana Moderna anunciou no mercado resultados bem promissores na corrida da vacina, pois na primeira fase dos testes com humanos 8 dos 45 pacientes testados produziram anticorpo (neutralizador) do vírus, assim, conseguiram levantar no mercado acionário US$ 1 bilhão, poucas horas após emitirem o comunicado. E não fizeram nenhuma publicação em revista científica.

Dessa maneira, as ações da Moderna valorizaram mais de 30%, apenas com o anúncio, e olha que eles não publicaram os dados dos estudo, afinal, não há tantas razões para festejar, pois entre 45 pacientes apenas 8 produziram anticorpos, se ela realmente fosse eficaz todos os 45 produziriam anticorpos, uma grande dúvida fica nesta pesquisa: Qual a razão dos 37 pacientes não produzirem os anticorpos?

Na sexta feira (22), um grupo de pesquisadores chineses da empresa CanSino, se adiantara e – fizeram uma publicação na revista médica britânica The Lancet  referente aos resultados obtidos nos testes de segurança e dosagem de uma vacina contra a Covid-19. Ao invés de comunicarem à imprensa eles publicaram um artigo científico revisto por pares, cheios de números e dados. Neste estudo tinha uma população de 108 participantes na cidade de Wuhan, dos quais 63 produziram no organismo anticorpos neutralizadores do vírus, com resultados considerados bem promissores. Destes, 87 % apresentaram efeitos colaterais ( dores e vermelhidão).

Conforme a OMS (Organização Mundial da Saúde), atualmente 120 projetos de vacinas estão sendo amplamente testadas, destes, apenas dez chegaram à primeira fase de testes clínicos, incluindo a Moderna e a CanSino. Cada uma com uma técnica diferente, e todas apresentam vantagens e desvantagens.

Cada empresa utilizando o que tem de mais sofisticado em engenharia biogenética, algumas apresentam bons resultados na primeira fase que testa em um pequeno grupo humano, mas faltam mais 3 fases até que seja totalmente aprovada.

A comunidade científica está muito pressionada em obter um resultado positivo por conta da “velocidade da pandemia”, contudo, os cientistas devem cumprir todos os protocolos da pesquisa para que “os riscos não superem os benefícios”. Esta corrida depende de grandes investimentos financeiros para arcar com todos os custos da pesquisa. Mesmo assim, podemos celebrar com os resultados promissores de alguns laboratórios, tanto americanos quanto chineses, afinal o mundo todo espera por uma vacina eficaz.

Com informações: G1

OUTRAS LEITURAS



Sensível Mente
Revista de opinião e entretenimento, sobre temas relacionados ao equilíbrio entre mente corpo e espiritualidade.

COMENTÁRIOS