Por: JCS

É bem certo que no mar Mediterrâneo terá muito mais máscaras e luvas do que as águas-vivas. Com essas palavras uma organização ecologista francesa denuncia o vergonhoso surgimento destes resíduos hospitalares nas praias e no fundo do mar no país. Tudo isto por causa da incoerência humana que desaprendeu que lixo tem que ser jogado no lixo.

As imagens vindas da França são tristes e desanimadoras. A organização Opération Mer Propre veio a público protestar, e, as tem publicado em várias ações de limpeza feitas em Antibes e na baía de Golfe-Juan, na Riviera Francesa, e extraíram uma quantidade enorme de máscaras de proteção hospitalar e luvas de látex do fundo do mar.

“Estávamos esperando por elas, elas chegaram, mas não no lugar certo … As primeiras máscaras apareceram no Mediterrâneo”, dizia um post na página da associação no Facebook.

A pandemia levou muitas pessoas a utilizarem máscaras de proteção facial, e, em outros casos luvas cirúrgicas, mas o inesperado está acontecendo, as pessoas estão descartando estes materiais em qualquer lugar, sem consciência alguma. Com isto, geralmente estes resíduos vão parar nos rios e eles acabam desaguando nos mares, o resultado é que a poluição aumentou sensivelmente. Isto tende a piorar, afinal, a cada dia que se passa, aumentam a produção de máscaras descartáveis.

“Usando o peso médio de 11 gramas (que leva em consideração todos os tipos de máscaras) e um requisito intermediário de 37,5 milhões, haveria uma produção diária de cerca de 410 toneladas. A produção calculada até o final de 2020 (cerca de 240 dias) seria, portanto, entre 60.000 e 175.000 toneladas de resíduos, com um valor médio de cerca de 100.000 toneladas”

É triste afirmar, mas, estes resíduos estão aumentando significativamente a quantidade de lixo marinho, prova disto são as imagens expostas pela Opération Mer Propre. A associação afirma que: as máscaras utilizadas contra o coronavírus estão formando um verdadeiro tapete no fundo do mar juntamente com vários tipos de plásticos e latas, o que além de enganar os peixes como sendo alimento, fator que os matam, aumentam em muito a questão da contaminação da água.

mascherine mare 1024x768 1 - Brevemente no Mediterrâneo terá mais máscaras e luvas do que águas-vivas: tristes imagens do fundo do mar da Riviera Francesa.
Facebook
mascherine mare1 990x1024 1 - Brevemente no Mediterrâneo terá mais máscaras e luvas do que águas-vivas: tristes imagens do fundo do mar da Riviera Francesa.
Facebook
mascherine mare2 1024x768 1 - Brevemente no Mediterrâneo terá mais máscaras e luvas do que águas-vivas: tristes imagens do fundo do mar da Riviera Francesa.
Facebook
mascherine mare3 1024x768 1 - Brevemente no Mediterrâneo terá mais máscaras e luvas do que águas-vivas: tristes imagens do fundo do mar da Riviera Francesa.
Facebook

Para se ter uma ideia da gravidade, veja as fotos registradas pelo fundador da Associação, Lauren Lombard, você ficará surpreso com o nível de destruição e degradação que está tomando conta dos mares franceses.

Laurent Lombard, fundador da associação, fez uma previsão curiosa e assustadora: Sabemos que mais de 2 bilhões de máscaras estão sendo compradas, provavelmente boa parte delas virão para o fundo dos mares, assim, brevemente no mar Mediterrâneo terá mais máscaras e luvas do que águas-vivas.

“A crise da saúde nos permitiu ver o melhor e o pior de nós, se não fizermos nada, é a pior coisa que acontecerá, enquanto é simplesmente uma questão de bom senso evitar tudo isso. Eu diria apenas que basta diferenciar corretamente uma máscara descartável, jogando-a no lixo como todos os outros resíduos “.

mascherine mare cover 696x464 1 - Brevemente no Mediterrâneo terá mais máscaras e luvas do que águas-vivas: tristes imagens do fundo do mar da Riviera Francesa.
Facebook

Com informações: GreenMeOperationMerPropreFacebook

 

OUTRAS LEITURAS



Sensível Mente
Revista de opinião e entretenimento, sobre temas relacionados ao equilíbrio entre mente corpo e espiritualidade.

COMENTÁRIOS