Por: JCS

A apresentadora Ana Maria Braga testou positivo para a Covid-19 nesta segunda-feira (05), todas as semanas ela realiza dois testes para poder fazer o programa “Mais Você”, desta vez, deu positivo. Ela entrou ao vivo no programa, e estava no hospital, após a confirmação do resultado. Conformou que os primeiros sintomas que ela sentiu foi na quinta-feira à noite.

Veja abaixo o comentário que ela fez:

“Tá tudo ótimo. Na verdade, dentro do possível, porque você não espera. Tava achando que era uma gripinha, tava assim desde quinta passada, mas a gente não espera mesmo. Eu nunca penso o pior. Então, hoje de manhã, quando eu fiz o exame – a gente faz o exame toda semana, duas vezes por semana -, na semana passada deu negativo e (hoje) deu positivo. Aí, eu vim aqui só pra conferir (no hospital) ”, disse a apresentadora a Fabrício Battaglini, que está comandando o programa “Mais Você”.

“Mas tô ótima, tô me sentindo bem, tô disposta. Parece uma gripe, sabe a sensação de uma gripe? Mas me sossegaram aqui e falaram: ‘[está] muito leve, já tomou as duas doses [da vacina], mas tem que ficar quietinha. Obrigada por estar aí comigo”, afirmou.

Ela também revelou sobre os sintomas: “[Senti] um pouco de mal-estar, dor de garganta, e hoje de manhã fiquei um pouco mais assustada, porque perdi o olfato. Você passa o perfume e fala ‘ué, será que o perfume estragou?’. Dá um susto porque o que a gente ouve falar e é, de fato, um dos sintomas que você pode perder o olfato e o paladar. É um mal-estar, uma gripe, é uma coisa meio congestionada, mas nada que te leve pra cama. Tanto é que estava na fazenda com a minha família e tava tudo bem. Agora precisa se cuidar”, revelou.

A vacina reduz os riscos de formas graves

Com 72 anos, Ana Maria Braga já tinha tomado as duas doses da vacina contra a Covid-19. Inclusive o médico infectologista Marco Auréllio Sáfadi, que já deu entrevistas no programa “Mais Você”, informou que pessoas que já tomaram a vacina podem contrair a Covid-19, contudo, disse que a vacina age no organismo reduzindo os riscos de formas graves da doença.

“As vacinas diminuem, principalmente, o risco de formas graves, mas em absoluto existem vacinas que sejam 100% eficazes. Mesmo indivíduos vacinados podem contrair a doença e podem até mesmo, infelizmente, apresentar formas graves. Por isso, a gente destaca a importância que, mesmo aqueles que estão vacinados, continuem com as estratégias que sabemos ser úteis para diminuir as chances de infecção, como o uso das máscaras. Em resumo, o que tem que ficar claro é que as vacinas têm demonstrado, de forma muito clara, serem bastante efetivas para diminuir todas as formas associadas à Covid-19. Principalmente, diminuir as chances daqueles que, eventualmente, se infectem e desenvolvam a doença, mesmo que tenham sido totalmente vacinados, tenham as formas mais graves e sejam hospitalizados”, afirmou o especialista Sáfadi.

 

Com informações: Ana Maria Braga

OUTRAS LEITURAS



Revista de opinião e entretenimento, sobre temas relacionados ao equilíbrio entre mente corpo e espiritualidade.

COMENTÁRIOS