Por: Fabrício Carpinejar

Os tímidos nunca são compreendidos.

Arcrebiano saiu fora do BBB porque não se indispôs com nenhum colega, mesmo sabendo que estava sendo alvo de uma campanha de difamação e de mentira.

Ele não falou nada, não falaria nada mesmo, não é da sua natureza comprar briga. Acredita que o tempo é o melhor remédio.

Dormiu mais cedo na festa da discórdia pois tinha bebido, não buscou desmanchar a fofoca com Carla e dar um basta na crise de ciúme absolutamente imaginária de Karol. Esperou, esperou e morreu esperando tudo se acalmar.

Não houve covardia, omissão, indiferença, é do temperamento do mais introvertido confiar unicamente na sua consciência e ficar alheio aos barracos dos outros.

capa oficial - A TIMIDEZ EMPAREDADA (Fabrício Carpinejar)

Acabou enredado numa relação sem tesão por educação, por não querer chamar atenção, para não ser indelicado.

A crítica ao seu beijo configura-se como mais uma maldade. Não existia atração para um beijo bom. Beijo contrariado será sempre “uma lixa”. Em vez de debochar, Karol deveria ter se dado conta da ausência de reciprocidade e espontaneidade. Estava na cara (ou melhor, na boca) a forçação de barra.

Ele não conseguiu se desvencilhar do ataque por absoluta incompetência para ser grosseiro, espernear e gritar. Talvez tenha até confundido o interesse com os carinhos da amizade. Talvez tenha pensado que era uma brincadeira pela insistência escancarada. Tornou-se assim a presa perfeita para a eliminação, devido ao costume cordial de não oferecer resistência.

Bil foi usado. Como todo tímido. Foi explorado. Como todo tímido.

O tímido sofre sozinho. Não reparte a sua angústia com ninguém. Prefere ser ofendido a ter que se defender. É um heroísmo do silêncio.

OUTRAS LEITURAS






Revista de opinião e entretenimento, sobre temas relacionados ao equilíbrio entre mente corpo e espiritualidade.