Por: JCS

O jovem piauiense Cristiano Neto, tem 29 anos de idade, e foi classificado como “Super doador”, afinal, ele doou medula óssea duas vezes em três meses para o mesmo paciente.

A boa ação lhe rendeu um diploma de “Super doador”, mesmo sem conhecer o paciente ele deu uma grande lição de doar esperança, sem saber para quem. “Passei a ver a vida de outra maneira”, afirmou.

Ele foi um herói da solidariedade

whatsapp image 2020 09 18 at 11.22.45 - Jovem doa medula óssea duas vezes para a mesma pessoa em 3 meses
Piauiense doa medula óssea pela 2ª vez em menos de quatro meses para a mesma pessoa — Foto: Arquivo Pessoal Cristiano Neto

Cristiano doou medula pela primeira vez para uma pessoa querida. Fez o seu cadastramento em 2016, assim, ele doou o sangue para o avô de um amigo.

Três anos se passaram, e as informações de sua medula foram identificadas como compatível, só que o beneficiário é um paciente que mora na Itália. Nesses casos, de pessoas que são de famílias distantes, as chances de compatibilidade de pessoas que não são de mesma família é de 1 para 100 mil.

Captura de Tela 13 - Jovem doa medula óssea duas vezes para a mesma pessoa em 3 meses
Foto: Arquivo Pessoal Cristiano Neto

Me falaram que era para uma pessoa que mora em Genova, na Itália. Eu não posso saber quem é a pessoa, pois a legislação do país dele não permite, e o máximo que eles informam é se a pessoa está bem, mas sexo, idade e o nome não falam”, disse o doador.

Cristiano conta que não imaginava como funcionava este procedimento, porém ele pensou duas vezes antes de decidir ajudar. “Em março de 2019, recebi uma ligação informando que eu era compatível com uma pessoa e perguntaram se eu tinha interesse em doar. De cara eu já aceitei”, disse.

whatsapp image 2020 09 18 at 12.18.27 - Jovem doa medula óssea duas vezes para a mesma pessoa em 3 meses
Piauiense doa medula óssea pela 2ª vez em menos de quatro meses para a mesma pessoa — Foto: Arquivo Pessoal Cristiano Neto

A primeira doação aconteceu em outubro de 2019. Ele teve que viajar para Natal, RN, para ali fazer o procedimento, que durou cerca de 4 horas. A segunda doação aconteceu em janeiro de 2020.

“Não se costuma doar para a mesma pessoa e nem em tão pouco tempo, mas me ligaram pedindo para doar novamente, pois o paciente não teve sucesso no tratamento dele. Eu aceitei”, revelou Cristiano.

Sua disposição em ajudar, fazendo o bem sem olhar a quem, fez com que o hospital lhe conferisse um certificado de “Super Doador”, que é também uma maneira de estimular outras pessoas a serem doadores.

É muito difícil de encontrar um doador compatível

img 5426 - Jovem doa medula óssea duas vezes para a mesma pessoa em 3 meses
Hemopi, em Teresina — Foto: Catarina Costa/G1 PI

Conforme Jurandir Martins, diretor do Hemopi, só no Piauí existem 93.312 doadores de medula óssea cadastrados no banco de doadores. Hoje, a preocupação do hemocentro é diversificar o perfil dos doadores para que possa aumentar as probabilidades de compatibilidade e assim ajudar muitas pessoas que estão na fila de espera por um transplante.

“È preciso ter um universo de possíveis doadores com características genéticas para conseguir achar a compatibilidade. A probabilidade é de 1 em 100 mil para os casos não aparentados, que é quando não existe na família um doador compatível”, disse.

Com informações: Portal G1

OUTRAS LEITURAS



Sensível Mente
Revista de opinião e entretenimento, sobre temas relacionados ao equilíbrio entre mente corpo e espiritualidade.

COMENTÁRIOS